Para uma mudança de escola sem traumas

A troca de escola pode ser traumática para algumas crianças, independentemente dos motivos que levaram a família a ter essa iniciativa. A ideia de ter novos colegas de classe e da mudança de ambiente é capaz de gerar grandes expectativas e de aumentar a ansiedade do aluno que terá de passar por esse processo de adaptação.

Para que a mudança de escola seja tranquila, o ideal é que a instituição de ensino, que receberá o novo aluno, tenha um projeto de acolhimento, de acordo com Quézia Bombonatto, presidente da Associação Brasileira de Psicopedagogia. Os pais também devem ser cuidadosos e ponderar muito bem quando for o momento de decidirem pela permanência ou não da criança na escola. A opção por sair de uma instituição de ensino não deve ser feita diante do primeiro obstáculo. Enfrentar as dificuldades pode ser um aprendizado para o filho, e os pais devem apoiá-los sempre nos momentos mais difíceis.

Informar a escola a respeito dos problemas pode ser uma solução. Caso não seja tomada nenhuma providência, a opção pela mudança de escola pode ser levada em consideração. Se a criança for, de fato, mudar de escola, o recomendado é que ela termine um ciclo de aprendizado e não saia da instituição no meio do semestre.


Fonte: Folha de S.Paulo