Como utilizar filmes e livros adequados em sala de aula?

Filmes e livros são um grande recurso para os professores aprofundarem temas, trabalharem o desenvolvimento da visão crítica e ampliarem o aprendizado de seus alunos em diversas matérias.

Um requisito fundamental para que esses recursos literários e audiovisuais cumpram seu papel, no entanto, é se encaixar a faixa etária dos estudantes. Para fazer a seleção dos instrumentos certos para o nível de aprendizado de seus alunos, não basta pesquisar.

“Para fazer a seleção, antes de tudo, o professor precisa ser um bom leitor e bom espectador de filmes. O professor que não tem repertório de leitura e de cinema não saberá escolher os materiais para a sala de aula e poderá cair na tentação de fazer escolha por catálogos que trazem livros por idade”, diz a professora Josiane Maria de Souza, da UNIMEP.

Pensar se a estrutura da escola está preparada para essas atividades também é um ponto importante para que a proposta alcance seus resultados. Quer um exemplo? Salas despreparadas para a projeção e filmes muito longos podem se tornar desinteressantes para os alunos.

“Hoje o professor pode encontrar ferramentas digitais para fazer a edição de recursos audiovisuais. E o mais importante é nunca exibir filme para ‘tapar-buraco’”, diz o professor Giovanni Alves, da UNESP, coordenador do projeto Tela Crítica, voltado para a produção de material pedagógico por meio da análise crítica de filmes.

Estabelecer um plano de aula claro, que tenha um objetivo definido é fundamental para que a atividade não assuma esse caráter negativo. “Os livros e filmes precisam ter uma relação clara com o conteúdo a ser trabalhado, têm de instigar o debate e a reflexão, provocar os alunos no bom sentido. Estimulá-los a pensar, a sair de uma área de conforto”, diz Cesar Adolfo Zamberlan, professor da Faculdade de Letras, Artes, Comunicação e Ciências da Educação da Universidade São Judas Tadeu.

Confira como selecionar os melhores instrumentos para cada faixa etária 

Até os anos 3

Livros lúdicos, com bastante desenhos e com relevos que possam despertar os sentidos e estimular o desenvolvimento da linguagem são a melhor opção. Já os filmes precisam ser curtos e voltados especificamente para essa faixa etária.

Livro

O Sapo Bocarrão: um livro com dobraduras-surpresa. É a história do sapo guloso que vive perguntando aos outros bichos o que eles gostam de comer.

Keith Faulkner- Editora Cia Das Letrinhas


4 a 6 anos

Além de expandir o vocabulário, nessa faixa etária as obras têm de contribuir para a elaboração da escrita. Para que isso aconteça, vale apostar em livros com estrutura de repetição que ajudam a memorizar novas palavras. Contos de fada tanto nos livros quanto nas versões em filme também podem ajudar na formação da personalidade das crianças, eles contribuem no processo de interpretação da simbologia conforme as próprias vivências infantis.

Filme 

Chapeuzinho Vermelho: A famosa menina com a sua capa vermelha que vai visitar a vovozinha e acaba encontrando um esperto lobo.





7 a 9 anos

É hora de migrar dos livros mais ilustrados para obras mais extensas e divididas em capítulos e para filmes mais complexos, que proponham reflexões sobre comportamentos e estimulem a criatividade.