Dicas para ajudar filhos a aproveitar melhor os estudos

Brincar com os colegas antigos, fazer novos amigos e se relacionar bem com os professores são comportamentos comuns da maioria das crianças no período escolar. Essa fase pode ser aproveitada também para criar uma rotina de estudos dos filhos e ajudá-los a se organizarem, visando um melhor aprendizado.

O primeiro grande passo seria estabelecer algumas regras, ensinando as crianças que a vida é feita de ciclos em que ora se estuda, ora se descansa. Assim, com a volta às aulas, eles devem saber que acabou o espírito das férias. Para facilitar, pode-se criar uma agenda com atividades e horários, já que quando se tem uma organização e se sabe o dia certo para entregar cada trabalho, o aluno se dedica na ordem certa, de acordo com as datas. Evitando assim a não realização das tarefas, e o esquecimento de materiais.

Outro passo fundamental é o cumprimento de horários. A criança tem que estar na escola no mínimo 10 minutos antes do início da aula, para que não corra o risco de perder partes importantes, como explicações iniciais de atividades. Um pequeno atraso pode não parecer nada, mas faz com que ela chegue atrapalhada.

Além disso, é muito bom fazer com que seu filho tenha acesso a diversos materiais de consulta, e não só a internet - como arquivos de fotografia, periódicos e enciclopédias. O importante é saber consultar, para depois analisar esse conteúdo e escrever sobre ele com suas próprias palavras. Assim, o aluno começa a ter mais interesse pela matéria, e seu dever é estimular o estudo diário – não apenas às vésperar de uma prova.

As crianças de hoje são capazes de fazer várias atividades ao mesmo tempo, mas estudar exige concentração e dedicação. O corpo tem que parar. Portanto, crie um local próprio para os estudos. Esse lugar não precisa ser luxuoso, basta ter uma cadeira e uma mesa para a criança e um horário reservado para o estudo, sem ser incomodada. No entanto, é importante lembrar que as crianças não podem ser submetidas a uma rotina rígida. Eles precisam de tempo para brincar.

Por fim, e não menos importante, estreite sua relação com o seu filho. Pergunte a els como foi o dia, o que teve de bom e o que não ficou claro no que aprenderam, além de participar das atividades da escola. Mesmo que não possam ajudá-los, farão parte da vida deles. O mesmo vale para pequenos sinais de bullying, que crianças e adolescentes muitas vezes não falam espontaneamente, mas acabam revelando-os quando são questionados.